17/11/2013

Ói

Dois comentários:
1°- Essas prisões dos mensaleiros agora, só são boas para o PT, teria de ser no próximo ano o Mundo todo virado p/ cá, véspera de eleição, o gigante na rua, copa no Brasil, o povo tem memória curta, vão cumprir em casa e daqui a alguns dias o assunto não é mais falado e ZEFINI  “se bem que é o ultimo 15 de novembro até a eleição” viva Joaquim! O banheiro foi caro só que valeu a pena!  
2° - Eu era menino e quando eu queria sair para rua e já estava tarde minha mãe falava que quem boa romaria faz! Em sua casa está em paz!         Hoje eu lhe dou toda razão com essa violência que a Bahia se encontra você não está seguro nem indo comprar pão, veja lá se divertindo, triste!  Cidade para pessoas já! O ditado correto é assim: “Boa romaria faz, quem em sua casa está em paz”

Ói

21/11/2011

Pituba as traças 2

Na Rua Amazonas esquina com a Rio Grande do Sul na Pituba, o lixo toma conta: Para entrar na vaga, temos que fazer baliza no lixo...













25/01/2011

04/11/2010

Sou Você



Mar sob o céu, cidade na luz
Sonho meu, canção que eu compus
Mudou tudo, agora é você
A minha voz que era da amplidão
Do universo, da multidão
Hoje canta só por você
Minha mulher, meu amor, meu lugar
Antes de você chegar
Era tudo saudade
Meu canto mudo no ar
Faz do seu nome hoje o céu da cidade
Lua no mar, estrelas no chão
Aos seus pés, entre as suas mãos
Tudo quer alcançar você
Levanta o sol do meu coração
Já não vivo, nem morro em vão
Sou mais eu, porque sou você
Minha mulher, meu amor, meu lugar
Antes de você chegar
Era tudo saudade
Meu canto mudo no ar
Faz do seu nome hoje o céu da cidade
Lua no mar, estrelas no chão
Aos seus pés, entre as suas mãos
Tudo quer alcançar você
Levanta o sol do meu coração
Já não vivo, nem morro em vão
Sou mais eu, porque sou você

09/04/2010

O fim chegou!!!





Eu esperava que quando este dia chegasse todos ficassem aflitos, que decepção! Agiram como se fosse um dia comum, e foi! O céu estava negro nunca tinha o visto tão rebelde, as mulheres estavam em um cio coletivo, os homens não acreditavam no que viam, pareciam animais, anciosos pelas presas que esperavam por toda vida, aquelas em que eles só à teriam monólogamente ou em seus sonhos mais íntimos. os animais se protegiam em rebanhos, sensíveis já sabiam o que estava à acontecer. Saí do meu quarto comecei a caminhar visitei todas as pessoas que eu não poderia deixar de ver naquele dia, perdoei os meus inimigos e beijei os meus amigos. conversei segredos com os meus filhos, e busquei a compreensão de meu pai, agradeci a minha mãe por ter sido gerado no seu ventre e pelo tempo que ela me emprestara, senti saudade das insanidades feitas na minha estadia aqui. Acreditem; Não me arrependi em nada. Fiquei com pena dos tolos ao olhar via tanto pavor, susto e medo nos seus olhos, pois não acreditavam que era aquilo que estava à acontecer!
Percebia que o chão tremia, ondas gigantes tomavam conta das praias que já não era mais praia virara mar, as plantações secavam como se estivessem em um microondas gigante. Toda água se evaporava em segundos, ficando apenas o sal, o doce se perdera e o amargor tomava conta de tudo até dos corações. Os homens bons se tornaram maus, e todos esperavam por ele, o Deus, mas nunca chegara. Então, o desespero tomava conta dos religiosos onde faziam suas orações, as bocas aos poucos secavam, faltando suas vozes, a sede tomou conta de todos, mas não tinha água, vinha a fome não tinha comida aos poucos vinha a noite e as pessoas buscavam uma solução mas não existia. Muitos iam assim cometendo suicídio, outros calados respiravam pouco para resguardar o oxigênio que lentamente se tornara um gaz nocivo! Do nada chega o Deus e o outro Deus e outro Deus e o outro Deus, começam a brigar querendo um Deus ser superior ao outro, cada um com uma Nave maior que outra de repente desce os Anjos e Demônios de suas Naves e uma guerra de Deuses começou em prol de quem é o Deus da Terra. Antes que eles acabassem todos morreram e eles se foram, deixando a Terra, assim como fez com Marte e com o Sol que se tornou na bola de fogo, com a Lua que linda mas porém escura onde só vê a luz dos outros. Anos depois começam a povoarem de novo a Terra e o mesmo fim lhe esperam! Daí levanto dando um suspiro e percebo foi a pior noite que eu tivera.




Rodrigo Ribeiro

01/03/2010

Pirigulino Porto da Barra

 
Olha! Que felicidade encontrar Paulinha e Nandita!!!

30/01/2010

Amigos Há anos

                                                      Eu e Marcos Vandalo Bargavara

23/12/2009

O EVANGELHO DE MARIA MADALENA








INTRODUÇÃO DO EVANGELHO DE MARIA MADALENA


O Salvador disse: "Todas as espécies, todas as formações, todas as criaturas estão unidas, elas dependem umas das outras, e se separarão novamente em sua própria origem. Pois a essência da matéria somente se separará de novo em sua própria essência. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça."
Pedro lhe disse: "Já que nos explicaste tudo, dize-nos isso também: o que é o pecado do mundo?"
Jesus disse: "Não há pecado; sois vós que os criais, quando fazeis coisas da mesma espécie que o adultério, que é chamado 'pecado'. Por isso Deus Pai veio para o meio de vós, para a essência de cada espécie, para conduzi-la a sua origem."
Em seguida disse: "Por isso adoeceis e morreis [...]. Aquele que compreende minhas palavras, que as coloque-as em prática. A matéria produziu uma paixão sem igual, que se originou de algo contrário à Natureza Divina. A partir daí, todo o corpo se desequilibra. Essa é a razão por que vos digo: tende coragem, e se estiverdes desanimados, procurais força das diferentes manifestações da natureza. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça."
Quando o Filho de Deus assim falou, saudou a todos dizendo: "A Paz esteja convosco. Recebei minha paz. Tomai cuidado para ninguém vos afaste do caminho, dizendo: 'Por aqui' ou 'Por lá', Pois o Filho do Homem está dentro de vós. Segui-o. Quem o procurar, o encontrará. Prossegui agora, então, pregai o Evangelho do Reino. Não estabeleçais outras regras, além das que vos mostrei, e não instituais como legislador, senão sereis cerceados por elas." Após dizer tudo isto partiu.
Mas eles estavam profundamente tristes. E falavam: "Como vamos pregar aos gentios o Evangelho ao Reino do Filho do Homem? Se eles não o procuraram, vão poupar a nós?" Maria Madalena se levantou, cumprimentou a todos e disse a seus irmãos: "Não vos lamentais nem sofrais, nem hesiteis, pois sua graça estará inteiramente convosco e vos protegerá. Antes, louvemos sua grandeza, pois Ele nos preparou e nos fez homens". Após Maria ter dito isso, eles entregaram seus corações a Deus e começaram a conversar sobre as palavras do Salvador.
Pedro disse a Maria: "Irmã, sabemos que o Salvador te amava mais do que qualquer outra mulher. Conta-nos as palavras do Salvador, as de que te lembras, aquelas que só tu sabes e nós nem ouvimos."
Maria Madalena respondeu dizendo: "Esclarecerei a vós o que está oculto". E ela começou a falar essas palavras: "Eu", disse ela, "eu tive uma visão do Senhor e contei a Ele: 'Mestre, apareceste-me hoje numa visão'. Ele respondeu e me disse: 'Bem aventurada sejas, por não teres fraquejado ao me ver. Pois, onde está a mente há um tesouro'. Eu lhe disse: 'Mestre, aquele que tem uma visão vê com a alma ou como espírito?' Jesus respondeu e disse: 'Não vê nem com a alma nem com o espírito, mas com a consciência, que está entre ambos - assim é que tem a visão' [...]".
"E o desejo disse à alma: 'Não te vi descer, mas agora te vejo subir. Por que falas mentira, já que pertences a mim?' A alma respondeu e disse: 'Eu te vi. Não me viste, nem me reconheceste. Usaste-me como acessório e não me reconheceste'. Depois de dizer isso, a alma foi embora, exultante de alegria."
"De novo alcançou a terceira potência, chamada ignorância. A potência inquiriu a alma, dizendo: 'Onde vais? Estás aprisionada à maldade. Estás aprisionada, não julgues!' E a alma disse: 'Por que me julgaste apesar de eu não haver julgado? Eu estava aprisionada; no entanto, não aprisionei. Não fui reconhecida que o Todo se está desfazendo, tanto as coisas terrenas quanto as celestiais'."
"Quando a alma venceu a terceira potência, subiu e viu a quarta potência, que assumiu sete formas. A primeira forma, trevas,; a segunda , desejo; a terceira, ignorância,; a quarta, é a comoção da morte; a quinta, é o reino da carne; a sexta, é a vã sabedoria da carne; a sétima, a sabedoria irada. Essas são as sete potências da ira. Elas perguntaram à alma: 'De onde vens, devoradoras de homens, ou onde vais, conquistadora do espaço?' A alma respondeu dizendo: 'O que me subjugava foi eliminado e o que me fazia voltar foi derrotado..., e meu desejo foi consumido e a ignorância morreu. Num mundo fui libertada de outro mundo; num tipo fui libertada de um tipo celestial e também dos grilhões do esquecimento, que são transitórios. Daqui em diante, alcançarei em silêncio o final do tempo propício, do reino eterno'."
Depois de ter dito isso, Maria Madalena se calou, pois até aqui o Salvador lhe tinha falado. Mas André respondeu e disse aos irmãos: "Dizei o que tendes para dizer sobre o que ela falou. Eu, de minha parte, não acredito que o Salvador tenha dito isso. Pois esses ensinamentos carregam idéias estranhas". Pedro respondeu e falou sobre as mesmas coisas. Ele os inquiriu sobre o Salvador: "Será que ele realmente conversou em particular com uma mulher e não abertamente conosco? Devemos mudar de opinião e ouvirmos ela? Ele a preferiu a nós?" Então Maria Madalena se lamentou e disse a Pedro: "Pedro, meu irmão, o que estás pensando? Achas que inventei tudo isso no mau coração ou que estou mentindo sobre o Salvador?"
Levi respondeu a Pedro: "Pedro, sempre fostes exaltado. Agora te vejo competindo com uma mulher como adversário. Mas, se o Salvador a fez merecedora, quem és tu para rejeitá-la? Certamente o Salvador a conhece bem. Daí a ter amado mais do que a nós. É antes, o caso de nos envergonharmos e assumirmos o homem perfeito e nos separaremos, como Ele nos mandou, e pregarmos o Evangelho, não criando nenhuma regra ou lei, além das que o Salvador nos legou."
Depois que Levi disse essas palavras, eles começaram a sair para anunciar e pregar.
Referência: Evangelhos gnósticos

25/10/2009

O Evangelho perdido de Judas



O MISTERIOSO EVANGELHO PERDIDO DE JUDAS – FATO OU FICÇÃO DA CO-REDENÇÃO?
Copyright © 2006 J.J. Hurtak, Ph.D., Ph.D.

Eis o relato secreto da revelação que Jesus fez num diálogo com Judas Iscariotes uma semana antes de celebrar a Páscoa... Jesus lhe disse: “Afasta-te dos outros e contar-te-ei os mistérios do reino. Tu tens a capacidade de alcançá-lo, mas padecerás de extremo sofrimento”.
          — O Evangelho de Judas

A provocadora publicação mundial (abril de 2006) dos temas descobertos com a recuperação do Evangelho Perdido de Judas (Iscariotes) não foi surpresa para os que têm trabalhado com os textos cópticos perdidos nos últimos trinta e tantos anos. O Evangelho veio à tona recentemente em Nova York, em fevereiro de 2006, mas foi originalmente descoberto nos anos 70 perto da cidade de El-Minya, ao longo do Rio Nilo mais ou menos 120 quilômetros ao sul do Cairo. Ele está em concordância com o grosso da coletânea de Nag Hammadi que foi paulatinamente publicada por estudiosos em Berlim (na década de 50), na UNESCO e no Instituto de Antiguidades da Califórnia, que fez insinuações sobre afirmações e trabalhos controversos relacionados à vida de Jesus e os seus discípulos.
Com grande argúcia, Marvin Mayers e outros estudiosos contemporâneos mostram o Evangelho de Judas como um documento abertamente contrário aos ensinamentos dos Evangelhos Sinópticos (Mateus, Marcos e Lucas) e ao Evangelho de João, que são os únicos evangelhos no cânone tradicional. Embora ele só tenha vindo à tona recentemente, os estudiosos que primeiro reviram o documento perceberam que haviam recuperado do terceiro século um Evangelho perdido atribuído a Judas Iscariotes, de importância capital. Sabiam da descoberta bombástica que tinham em mãos e da sua imensa relevância: um documento que reavaliava os trechos finais dos Evangelhos ortodoxos do Novo Testamento sobre a paixão, a morte e a ressurreição de Cristo. A mensagem de fundo é a de que Judas teve um entendimento prévio do seu papel na história da crucificação como parte de um ensinamento interno que Jesus lhe havia transmitido sobre o papel cósmico do nascimento e da morte dele (Jesus) segundo a Providência Divina. A atribuição do nome “Judas” a um evangelho cóptico centenas de anos após o evento histórico condiz com a tradição de sabedoria cabalística egípcia e judaica na qual os escritores não costumam dar os seus nomes, mas usam o nome de um sábio ou mensageiro por respeito à tradição maior de ensinamentos.
Eu acabo de retornar de um projeto próximo a Nag Hammadi que em 1945 foi cenário da descoberta de mais de 54 textos cristãos antigos, a maior descoberta de documentos posteriores ao Novo Testamento — o trabalho continua até os dias atuais. Circundada por sítios arqueológicos, Nag Hammadi situa-se no Vale do Alto Nilo, sobre a encosta leste do rio, aproximadamente 30 km ao sul de Ábidos, onde alguns dos maiores templos do mundo antigo honram a Osíris, o deus da cosmologia egípcia que morre e se reergue. Aqui, os escritores e estudiosos cópticos do segundo e terceiro séculos d.C. trabalharam com questões teológicas, psicológicas e cosmológicas sobre a vida e a morte de Jesus de Nazaré na área que se estendia até o norte a Panópolis (“Cidade Global”), a capital do distrito egípcio. Os escombros dos monastérios e as ruínas de templos indicam a intensa vida intelectual de um tempo passado e de uma cristandade nascente que nem era oriental, nem ocidental, e sim, de modo especial, egípcio-africana. Segundo o grande explorador do século dezoito James Bruce, seria nesta área de influência, que se estendia do Egito à Etiópia, que seriam encontradas algumas das maiores obras perdidas do período intertestamental e do posterior ao Novo Testamento, que muitos dos pais da igreja dos primeiros tempos consideravam canônicos ou dignos de estudo.
Há algumas variações pontuais dos fatos entre este Evangelho de Judas perdido e os quatro evangelhos canônicos. Entre as mais importantes que o leitor perceberá estão as seguintes:
1) Judas exerce um papel muito mais próximo de Jesus como integrante de um discipulado interno.
2) Jesus sabia que a importância da sua morte requereria agentes humanos para encenar o drama cósmico e Judas era chave para o evento da morte na qual Jesus trocaria o seu manto de carne por um corpo de luz.
3) O uso da terminologia mística e esotérica como “Barbelo” e “Sophia” é crucial para a linguagem de outros textos cópticos que explicam a verdadeira natureza do mistério da morte e ressurreição de Cristo.
4) A real oposição velada aos ensinamentos de Jesus não era a das autoridades religiosas e políticas romanas e judaicas, mas a das hierarquias angélicas caídas dirigidas por Yaldabaoth e por outros, que usaram os sistemas humanos como joguetes.
5) Há uma fraca distinção entre a Sophia caída ilustrada no Pergaminho de Judas e o princípio feminino de sabedoria superior ilustrado no Antigo Testamento grego e no cristianismo místico do Egito, que afirmam a natureza positiva de Sophia.
6) Do mesmo modo, Saklas, uma inteligência mestre negativa do cosmo maior, é considerado o criador de Adão e Eva.
7) Ambos o Novo Testamento e a Coletânea Genuína de Nag Hammadi enfatizam que Maria Madalena, João e Pedro eram os discípulos mais próximos de Jesus. Os elementos significativos da crônica mais ampla de Jesus na cruz como, por exemplo, a realidade da ressurreição para fora da cruz – a “boa nova” dos “Evangelhos” — são deixados de fora.
8) Também é interessante notar que diferentemente de outros documentos cópticos que reconhecem o destaque atribuído a Maria Madalena, não há qualquer referência ao papel de Maria Madalena ou das proto-mães da Cruz. Talvez isto se deva ao fato de o escrito tender a atribuir maior responsabilidade pela crucificação a um Plano Divino superior de redenção humana. O Evangelho de Judas enfatiza que a Mente Divina que opera através do Cristo designou alguém previamente, Judas Iscariotes, aliviando de alguma forma os judeus e romanos da sua participação no evento cósmico celebrado na Páscoa no mundo inteiro.
Os leitores e estudiosos céticos e de mente aberta precisam fazer uma distinção entre os textos gnósticos cristãos “kosher”, genuínos, que aceitam a morte e a ressurreição de Cristo no contexto das atribuições do Pai Divino (YHWH) e as tradições místicas dos escritos do Antigo e do Novo Testamento. Em suma, os gnósticos cristãos genuínos não eram anti-semitas e assimilaram os grandes padres da igreja africana, Clemente de Alexandria e o grande estudioso da Igreja dos primeiros tempos, Orígenes.
Enquanto do ponto de vista geral a história da condenação e crucificação revelada no Evangelho de Judas segue a dos evangelhos canônicos, ela é bem diferente se vista de perto. O Evangelho de Judas não atinge o objetivo dos documentos cópticos “cristãos” mais plausíveis e minimiza o papel de outros discípulos e do Ofício do Cristo (Hebreus, capítulo 8), que Jesus veio cumprir sem a necessidade de uma intriga específica entre mestre e discípulo. Recomenda-se aos leitores interessados que leiam a coletânea completa dos documentos de Pistis Sophia (cinco volumes) que minha esposa e eu traduzimos e publicamos pela Academia para Ciência Futura a partir dos textos cópticos originais. Lá é explorado em grande detalhe o papel da Trindade de Trindades, do Nome Inefável e de Jesus após a ressurreição, de acordo com os escritos que os discípulos reuniram no Egito.
Para aqueles de vocês que queiram uma descrição mais detalhada com comentários de alguns dos textos e idéias cópticos, por favor, consultem Pistis Sophia: Texto e Comentário para compreender a fé e a sabedoria superior que os antigos cristãos que viviam no Egito revelaram.
J.J. Hurtak, autor de Gnosticismo: Mistério dos Mistérios, e tradutor e expositor de Pistis Sophia: Texto e Comentário, juntamente com a sua esposa Desiree, estudou textos cópticos no Egito e foi consultor do projeto arqueológico que empregou Radar de Penetração de Solo para localizar a tumba de Osíris no Egito em 1997.
Para mais informações:

20/10/2009

Sincretismo Religioso



Sincretismo Religioso
Martinho da Vila

Saravá, rapaziada! - Saravá !
Axé pra mulherada brasileira! - Axé!
Êta, povo brasileiro! Miscigenado,
Ecumênico e religiosamente sincretizado
Ave, ó, ecumenismo! Ave!
Então vamos fazer uma saudação ecumênica
Vamos? Vamos!
Aleluia - aleluia!
Shalom - shalom!
Al Salam Alaikum! - Alaikum Al Salam!
Mucuiu nu Zambi - Mucuiu!
Ê, ô, todos os povos são filhos do senhor!
Deus está em todo lugar. Nas mãos que criam, nas bocas que cantam, nos corpos que dançam, nas relações amorosas, no lazer sadio, no trabalho honesto.
Onde está Deus? - Em todo lugar!
Olorum, Jeová, Oxalá, Alah, N`Zambi. . . Jesus!
E o espírito Santo? É Deus!
Salve sincretismo religioso! - Salve!
Quem é Omulu, gente? - São Lázaro!
Iansã? - Santa Bárbara!
Ogum? - São Jorge!
Xangô? - São Jerônimo!
Oxossi? - São Sebastião!
Aioká, Inaê, Kianda - Iemanjá!
Viva a no Nossa Senhora Aparecida! - Padroeira do Brasil!
Iemanjá, Iemanjá, Iemanjá, Iemanjá
São Cosme, Damião, Doum, Crispim, Crispiniano, Radiema. . .
É tudo Erê - Ibeijada
Salve as crianças! - Salve!
Axé pra todo mundo, axé
Muito axé, muito axé
Muito axé, pra todo mundo axé
Muito axé, muito axé
Muito axé, pra todo mundo axé
Energia, Saravá, Aleluia, Shalom,
Amandla, caninambo! - Banzai!
Na fé de Zambi - Na paz do senhor, Amém!

02/10/2009

O Pedido " feira livre de IPIRÁ

Saudade das quartas-feiras






O Pidido
Elomar Figueira Melo
Composição: Elomar


Já qui tu vai lá prá fêra
Traga di lá para mim
Agua do fulô qui chêra
Um nuvelo e um carmim
Trais um pacote de misse
Meu amigo ah se tu visse
Aquele cego cantadô!
Um dia ele me disse
Jogano um mote de amô
Qui eu havéra de vivê
Pur esse mundo
E morrê ainda em flô
Passa naquela barraca
Daquela mulé reizêra
Onde almuçamo paca
Panelada e frigidêra
Inté você disse uma lõa
Gabano a boia bôa
Qui das casa da cidade
Aquela era a primêra
Trais pra mim vãs brividade
Qui eu quero matá a sôdade
Fais tempo qui fui na fêra
Ai sôdade...
Apois sim vê se num isquece
Quinda nessa lua chêa
Nós vai brincá na quermesse
Lá no Riacho d'Arêa
Na casa daquêle home
Feitecêro e curadô
Que o dia intêro é home
Filho do Nosso Sinhô
Mais dispois da mêa noite
É lubisome cumedô
Dos pagão qui as mãe isqueceu
Do batismo salvadô
E tem mais dois garrafão
Cum dois canguin responsadô
Apois sim vê se num isquece
De trazê ruge e carmim
Ah se o dinheiro desse!
Eu quiria um trancilin
E mais treis metro de chita
Qui é preu fazê um vistido
E ficá bem mais bunita
Qui Madô de Juca Dido
Qui Zefa de lô Joaquim
Já qui tu vai lá prá fêra
Meu amigo trais
Essas coisinhas para mim...

22/09/2009

Não adianta "Zeca Baleiro"

Não adianta,
Não adianta nada ver a banda,
Tocando “A Banda” em frente da varanda,
Não adianta o mar,
E nem a sua dor.

Não adianta,
Não adianta o bonde, a esperança,
E nem voltar um dia a ser criança,
O sonho acabou,
E o que adiantou?

Não tenho pressa,
Mas tenho um preço,
E todos tem um preço,
E tenho um canto,
Um velho endereço,
O resto é com vocês,
O resto não tem vez.

O que importa,
É que já não me importa, o que importa,
É que ninguém bateu em minha porta,
É que ninguém morreu,
ninguém morreu por mim.

Não quero nada,
Não deixo nada, que não tenho nada,
Só tenho o que me falta e o que me basta,
No mais é ficar só,
Eu quero ficar só.

Não adianta,
Não adianta, que não adianta,
Não é preciso, que não é preciso,
Então pra que chorar?
Então pra que chorar?
Quem está no fogo, está pra se queimar,
Então pra que chorar?

13/09/2009

verdades...

Dia mais, dia menos, toda informação oculta virá à tona porque o destino humano é a liberdade. Enquanto houver informações ocultas haverá também grilhões que amarram pessoas, impedindo-lhes o progresso.

27/08/2009

Parabéns Kadu




Kadu

Um belo dia, eu estava em Mundo Novo, na porta da casa de Nadir, mãe de Pati, e passou uma menina branquinha, linda, olhos claros e com um saquinho de bala ice-kiss. Ela subiu em direção ao centro e, minutos depois, a mesma retorna, totalmente distraída à rua, então eu perguntei :
- São para mim estas balas?
Ela deu um sorriso doce e respondeu:
- Você quer uma?
Daí, me deu uma bala e eu perguntei se o recado seria para mim!
Tudo começou ali, naquele momento.
Alguns meses depois, descobrimos que ela estava grávida. Ficamos noivos e, por ironia sei lá, o quê, não prosseguimos com nossa relação! Aí, nasce KADU: uma criança linda, loira, olhos azuis; um rosto parecidíssimo com o dela; personalidade também.
A vida me levou para um caminho distante de tudo que realmente é meu: MEUS FILHOS. Uma distância talvez amedrontada, protelando, todos os dias, uma aproximação; o medo de, pelo fato de ter sido , sem motivo algum; de não ser presente em uma vida, 13 anos deixando sempre para “amanhã eu ligo”; amanhã vou vê-lo; amanhã eu o procuro e, assim foi passando, passando e passando o tempo. O crescimento; a construção de uma personalidade; as descobertas; a vontade de ter um carinho de pai, aliás, de ter um pai.
A fase “criança” já passou, e eu não o vi ser uma criança. Agora, vem a fase da adolescência: transformação total. Tudo muda, vêm as dúvidas; as descobertas de vida, de sexo, de tudo. O momento mais importante da vida está por vir...
Eu quero me redimir. Dizer que te amo muiiiiiiiiiiiiiito. Que você é querido, mesmo distante; mesmo não tendo vivido momento algum de tua história, te amo, te amo e te amo! Você é muito importante para a minha vida. Tudo o que faço é pensando em vocês. Pode não parecer.
Sei que você precisa de meu carinho e eu não vou mais protelar. Eu te amo, KADU, MEU FILHO!

Parabéns, felicidades, e você vai ser muito feliz, eu sei que vai!

Bjosssssssssss grandes
Rodrigo

04/08/2009

PITUBA ÀS TRAÇAS

PITUBA:

Deveria ser um dos melhores Bairros de SALVADOR, mas está jogado às traças. 1º a rua São Paulo, em uma clinica particular, a faixa de pedestre virou LITERALMENTE estacionamento da mesma (segue fotos). Na praia, um objeto de metal parecido com um tonel, está na areia a mais ou menos 45 dias e nenhuma providencia foi tomada para sua retirada e se quer saber de quem é a responsabilidade. ONDE ESTÃO AS AUTORIDADES?















Este objeto parece pequeno mas na realidade é do tamanho de um veiculo de passeio em plena areia da praia nas proximades do TOURÃO


20/07/2009

mimha 5ª tatoo, novinha em folha.

Foi todo um processo, na verdade fomos visitar DINHO tio de Nana " RÔLA TATOO " quando eu cheguei ele já foi gritando:
- vamos riscar?
"eu" Agora?
- Aproveita que eu vou parar de tatuar!
"eu" Então vamos!
"eu" riscar o que?
- A perna é sua você que sabe!
Ai começou a busca, Depois de 1 hora decidimos fazer um dragão " DETALHE FOI CRIADO NA HORA " unico, exclusivo Só meu!

E ai está:

1º Raspei as pernas:


2º limpando o local da tatoo:


3º começo do desenho:




4º Começou a tatoo:



5º Resultado final:








6º MAKING OFF
DOR:


"eu" porra Dinho está pensando que minha perna é vagina para passar creme vaginal?
- Rapaz é melhor que bepantol!" risos "